Tags

, , ,

O laboratório DLE entrou em contato conosco e estamos publicando abaixo sua carta aberta. Para tal não estamos recebendo nada. A publicação se deve apenas a ser algo de interesse dos portadores de TMAU. Dessa forma, fica aberto esse espaço para qualquer outro laboratório no Brasil que também conte com o exame para a detecção da doença.

Carta aberta aos portadores de Trimetilaminúria (TMAU).

Desde 1986 o DLE – Medicina Laboratorial trabalha com exames especializados, trazendo para o país novas tecnologias e métodos de análises. Muitos destes exames estão relacionados a doenças raras cujos portadores encontram diversos obstáculos e muitas vezes levam anos até chegar ao diagnóstico, como ocorre com os portadores da TMAU.

Tendo sempre o objetivo de tornar acessíveis estes exames, o laboratório DLE trabalhou para trazer este exame para o país e reduzir os custos da análise molecular do gene FMO3.

A metodologia escolhida foi a de sequenciamento completo do gene, a fim de detectar qualquer alteração, uma vez que já foram descritas mais de 30 mutações no gene FMO3. Como não se sabe a frequência exata da condição, nem quais mutações são mais frequentes no país, não é possível estabelecer nenhum painel de mutações nem há indicação do estudo de uma única mutação, fato que pode ser mudado no futuro após estudos de uma quantidade suficiente de pacientes.

Esta redução do custo foi repassada ao preço final, que foi diminuído em quase 40%, chegando ao valor de R$ 2.080,00. Este valor inclui tanto o exame quanto o transporte, permitindo que a pessoa colha o exame de forma indolor em casa, com o kit de coleta domiciliar. Caso seja coletada amostra sanguínea em uma das unidades do DLE (Rio de Janeiro ou São Paulo) o valor é de R$ 1.980,00.

Para mais informações sobre o teste acesse o link: http://www.dle.com.br/tmau

Anúncios